top of page

Alta do frete marítimo se torna novo risco para o Brasil



Frete maritimo em alta
Frete maritimo em alta

Atrasos e encarecimento do transporte nas rotas de contêineres atingem importadoras e exportadoras, com efeitos que podem atingir do e-commerce ao agronegócio, segundo especialistas do setor no Brasil.

Os preços do transporte marítimo global continuam a subir, conforme os rebeldes Houthi seguem atacando os navios de carga no Mar Vermelho e nos arredores.

As interrupções estão em um ponto-chave para os navios que passam pelo Canal de Suez e criam problemas nas cadeias de suprimentos da Europa e dos EUA, atrasando as remessas e aumentando os custos de transporte.

Os custos médios mundiais de transporte de um contêiner de 40 pés subiram 23% na semana até 18 de janeiro, para US$ 3.777, de acordo com a Drewry Shipping Consultants, com sede em Londres, mais do que dobrando em relação ao mês passado.

Os aumentos são percebidos muito além das rotas comerciais interrompidas que ligam a China à Europa e à costa leste dos EUA. As tarifas do mercado spot para enviar um contêiner da China para Los Angeles subiram 38% na semana até 18 de janeiro, para US$ 3.860.

O Fundo Monetário Internacional afirma que o tráfego marítimo pelo Canal de Suez caiu 37% até agora em 2024 em relação ao ano anterior, e as principais transportadora marítimas desviaram navios por rotas alternativas pela África, acrescentando mais de uma semana de trânsito.

Os atrasos já estão afetando alguns fabricantes na Europa, como as indústrias automobilísticas da Tesla e da Volvo, devido à escassez de peças.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page